Aberto 25º Curso Anual dos Bispos do Brasil

0

om a presença do Núncio Apostólico no Brasil, Dom Giovanni d’Aniello, o Curso Anual dos Bispos do Brasil teve início na noite desta segunda-feira, dia 25 de janeiro, no Centro de Estudos e Formação do Sumaré, no Rio Comprido.

BISPOSO primeiro curso dos bispos no Sumaré aconteceu em julho de 1990, com a presença do então Cardeal Joseph Ratzinger, hoje Papa Emérito Bento XVI. O evento, que terá como tema central a “Família”, acontece até a próxima sexta-feira, dia 29.

O arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, deu às boas vindas aos participantes do curso.

 

Leia a mensagem na íntegra: 

Boas-vindas ao 25º Curso para os Bispos

25 a 29 de janeiro 2016

Meus votos de boas-vindas a todos e louvor e ação de graças a Deus que nos permitiu poder prestar também neste ano esse belo serviço aos bispos do Brasil. É sempre uma alegria reencontrar os irmãos! Devido a problemas da malha aérea muitos voos foram mudados ou transferidos e alguns irmãos estão ainda chegando nesta noite e amanhã cedo. Entre os irmãos bispos o destaque é para D. Edvaldo Gonçalves Amaral que até hoje participou de todas as edições do Curso para os Bispos.

Acabamos de iniciar com toda a Igreja o ano do Jubileu da Misericórdia. Com todas as portas santas da misericórdia abertas estamos fazendo a experiência de acolher e anunciar a misericórdia. Nesta semana teremos oportunidade de participar do lançamento do livro da entrevista do Papa Francisco que está sendo lançado com o título “O nome de Deus é misericórdia”. A editora está concluindo a impressão e deverá lançar nesta semana esse livro. Aqui no Rio de Janeiro, aproveitamos este encontro e iremos participar desse lançamento na próxima quinta-feira à noite, numa livraria de renome aqui no Rio de Janeiro, a Livraria da Travessa no Shopping Leblon com a participação do jornalista Gerson Camarotti que fará uma breve apresentação do livro e os que estarão presentes receberão um exemplar do mesmo. Como se trata de uma livraria será preciso levar um voucher que entregaremos na hora da saída daqui.

Neste ano, a Campanha da Fraternidade Ecumênica vai nos ajudar a ver a necessidade de conversão no cuidado com a casa comum, [tema: “Casa comum, nossa responsabilidade” e o lema “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (cfr. Am 5.24)].tema muito caro ao Papa Francisco, que ao escrever a “Laudato Si’” nos motivou ainda mais nessa missão que já tem sido objeto de várias Campanhas da Fraternidade anteriores.

Estamos também na semana do 51º Congresso Eucarístico Internacional em CEBU nas Filipinas com o tema “Cristo em vós, a esperança da glória”, que se iniciou ontem, domingo e irá até o próximo domingo. Nas Filipinas se concentra metade da população católica da Ásia. Isso nos recorda do próximo congresso eucarístico nacional em Belém, comemorando os 400 anos da fundação da cidade. O XVII CEN ocorrerá de 15 a 21 de agosto deste ano e tem como tema: Eucaristia e partilha na Amazônia Missionária, e como lema: Eles o reconheceram no partir do pão.

Temos o privilégio de iniciar este curso deste ano no dia da Festa da Conversão de São Paulo e na conclusão da semana de orações pela unidade dos cristãos no hemisfério norte quando o Papa presidiu na Basílica de São Paulo fora dos muros as Segundas Vésperas solenes comemorativas.

Aqui no Rio de Janeiro a cidade se prepara as Olimpíadas e as Paraolimpíadas. Em meio às controvérsias sociais e econômicas nas quais as nossas pastorais estão atentas e inseridas, a arquidiocese tem um plano de trabalho, tanto para a coordenação dos trabalhos religiosos na vila dos atletas, como também dos “100 dias de paz” e o projeto de inserção dos jovens das comunidades na dinâmica do esporte para a paz. Em meio a crises política, econômica, social, ética, ideológica, etc – vamos nos movendo. E o tema da família está bem dentro desse furacão ideológico que varre a sociedade hodierna.

Aqui no Brasil, olhando para o futuro, já vislumbramos as comemorações em 2017 dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição A(a)parecida nas águas do Rio Paraíba e uma nova possível visita do Papa Francisco. Uma oportunidade de proclamar valores importantes para a nossa sociedade.

Este curso para bispos tem uma bela história: iniciou-se em julho de 1990 (estamos, portanto no 27º ano de existência), com a presença do então Cardeal Joseph Ratzinger, aqui neste Centro de Estudos e Formação do Sumaré. O assunto foi “o ministério Petrino em nosso tempo”. Daquela data em diante, com apenas duas exceções (1991, ano seguinte ao primeiro curso e em 2007, quando ocorreu a V Conferência em Aparecida e a visita do Santo Padre o Papa Bento XVI a São Paulo e Aparecida), todos os anos temos tido a alegria de receber os senhores bispos que aceitam o convite para um tempo de convivência fraterna e discussão de algum assunto de interesse comum, com conferencistas que nos ajudam a aprofundar os temas. A presença dos senhores é a razão primeira da existência deste curso e a colaboração nas reflexões o torna ainda mais enriquecido.

Este é, portanto, o 25º curso anual dos bispos do Brasil que realizamos. Estamos, portanto comemorando o jubileu de prata desse curso. Agradeço aos senhores pela presença e aos meus antecessores pela história que temos. Essa tradição iniciada pelo Cardeal Eugênio Araujo Sales, de saudosa memória, e continuada com o Cardeal Eusébio Oscar Scheid. Agradeço ao Cardeal Marc Oullet, da Congregação para os Bispos e da Pontifícia Comissão para a América Latina, que mesmo com dificuldades de saúde e de viagem enviou os textos de suas conferências que serão lidos por D. João Carlos Petrini, Bispo de Camaçari na Bahia a quem agradeço pela sua disponibilidade em nos ajudar, também aos professores do Instituto João Paulo II de Roma, Mons. José Granados Garcia (que está retido em Nova York devido à neve e só chegará na próxima quarta-feira) e Mons. Juan José Perez Soba e ao Padre Jesus Hortal, da PUC do Rio de Janeiro, pela aceitação das explanações que farão. Devido a esses imprevistos haverá alteração na sequência de algumas conferências na terça e na quinta. Será distribuída folha com a nova sequência das mesmas.

A pedido, feito no ano passado, de Sua Excelência, do senhor Núncio Apostólico, D. Giovanni d’Aniello teremos como lembrança deste curso uma cruz peitoral comemorativa que recorda um pouco a cruz da capela daqui do Sumaré. (não poderia ser uma reprodução idêntica senão ficaria muito estranha e pesada). Elaborada pela mesma autora, a cruz tem o mesmo estilo, que será abençoada e entregue na missa de sexta-feira. Aliás, contaremos aqui nestes dias, com muita alegria, com honrosa presença do senhor Núncio que permanecerá conosco e atenderá os senhores bispos que desejarem ou chamará aqueles com os quais gostaria de conversar. (Mons. Marcel Smejkal, tcheco, Conselheiro da Nunciatura, o acompanhará e o assessorará para os devidos atendimentos.) O senhor Núncio também conferirá, em nome do Papa Francisco, amanhã à noite, antes do jantar, a Medalha São Gregório Magno ao Consul Geral da Itália no Rio de Janeiro, Dr. Riccardo Batisti, aqui ao lado, na residência Assunção, que foi a residência papal durante a JMJ.

O trabalho de organizar este curso anual, contatos com conferencistas e os conteúdos dos temas tem sido de D. Karl Josef Romer. Ele contata os conferencistas, verifica os temas, responsabiliza-se pela tradução dos textos quando necessário, acolhe os conferencistas e conduz a dinâmica destes dias. Agradeço-lhe desde já essa importante missão. Ele já está com o curso de 2017 organizado, e pensando na temática de 2018 com toda precisão suíça germânica.

A organização prática: recepção, liturgia, impressos e demais assuntos é da Coordenação de Pastoral comandada pelo Mons. Joel Portella Amado com sua equipe própria, acrescida com os Padres, Diáconos Permanentes e Grupo de Seminaristas do Seminário São José. A casa, além das Irmãs do Bom Conselho e sua equipe de atendentes, temos a assessoria da Mitra Arquidiocesana, conduzida pelo Pe. Henrique Jorge Diegues e sua equipe, inclusive com as responsabilidades médicas. Agradeço a disponibilidade dos que aceitaram hospedar-se na Casa do Padre e no Seminário São José no Rio Comprido para facilitar a hospedagem de um bispo para cada quarto.

Depois de 5 anos (2011-2015) aprofundando os temas dos documentos conciliares, comemorando assim os 50 anos do Concílio Vaticano II (creio que foi uma das maiores comemorações desse jubileu no Brasil), neste ano de 2016 o foco se voltou para a “Família”, tema que foi aprofundado nestes últimos dois anos pela Igreja. Depois de tantos livros e artigos, um Consistório, uma Assembleia extraordinária do Sínodo e um Sínodo Ordinário dos Bispos, e enquanto aguardamos a publicação do documento papal pós sinodal, creio que é um belo momento de partilharmos um pouco dessas discussões e encaminhamentos. Como já dissemos, na última hora tivemos mudanças na presença dos conferencistas e por isso algumas delas estarão em horários diferentes do programado, mas tenho certeza de que a partilha entre nós será de uma grande riqueza. O assunto, além de estar nas preocupações e aprofundamentos da Igreja é uma problemática séria diante das várias investidas ideológicas que sofre a família com suas várias interpretações. Como responder a todas essas questões hoje?

Como sabemos este curso não tem como finalidade tomar decisões administrativas, nem pastorais e nem fazer pronunciamentos. A única manifestação é a nossa costumeira carta de cumprimentos ao Papa e ao Prefeito da Congregação para os Bispos, que como sempre ocorre a cada ano. É simplesmente um tempo de reflexão e partilha. A liturgia das horas e a missa diária são os pontos altos desses dias de atualização e troca de experiências. Nestes dias, os Senhores Bispos de várias partes do Brasil têm um especial momento de confraternização, de encontro, e, neste, ano o nosso passeio ocorrerá em horário invertido, na parte da manhã, devido a questão do horário de funcionamento do “Museu do Amanhã”, inaugurado em Dezembro passado e situado na nova Praça Mauá. As milhares de pessoas que procuram visitá-lo diariamente é motivação para que o conheçamos, pois se trata de um museu diferenciado daqueles que nós conhecemos. Essa visita será precedida de um momento cultural sobre o Rio de Janeiro e seus 450 anos e acolhida das Olimpíadas no auditório do Edifício João Paulo II, no bairro da Glória. Desejo que estes dias aqui, com um tempo chuvoso e menos calor (espero), sirvam para um descanso de tantos trabalhos e preocupações de nosso dia a dia.

Aqui estamos para discernir juntos os sinais de Deus na simplicidade de cada dia e contemplar as alegrias da ação do Senhor em nossas vidas de serviço à Igreja. Espero que ao retornar para suas dioceses levem boas ideias, recordações e ânimo renovado.

Caros irmãos bispos, vigários episcopais e convidados a todos os acolho com grande alegria aqui nesta casa. Mais uma vez lhes digo: sejam muito bem-vindos e obrigado por aceitarem vir a este encontro, que é um serviço que a Igreja do Rio de Janeiro presta como um compromisso fraterno. Aqui, tenham consciência de que é extensão de sua casa. Acolho, com grande afeto, a todos: sejam os novos que participam pela primeira vez, sejam os que já costumam vir em outros anos, bem como os caríssimos bispos eméritos nesse belo encontro em que todos nos sentimos protagonistas.

Que o nosso encontro e reflexão no curso nos ajudem nestes tempos que ora vivemos a vivermos como nos acenou o Papa Francisco: que sejamos “capazes de aquecer o coração das pessoas, de caminhar na noite com elas, de dialogar com as suas ilusões e desilusões, de recompor as suas desintegrações”.

Louvado seja o Senhor! Tudo para maior glória Deus!

 

         † Orani João Tempesta, O. Cist.

Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ

Ajude-nos a divulgar compartilhe !!!.