Paris (França) acolherá no domingo, 21 de janeiro, uma grande manifestação a favor da vida cujo tema será: “Da sombra à luz”.

“Assim como a luz brilha nos olhos de todos, a vida se dá e não se negocia. Entretanto, no ano passado, negaram a 220 mil crianças na França o direito de abrir os olhos à luz do dia”, denunciam os organizadores da Marcha pela Vida.

Explicam que o objetivo desta marcha é “despertar as consciências sociais e políticas sobre a necessária proteção e defesa da mulher, da maternidade e da vida de cada ser humano como de cada um de nós”.

Do mesmo modo, asseguram que esta marcha “reafirma seu compromisso incondicional a respeitar a vida, em um momento no qual a banalização do aborto nunca foi tão forte”. Além disso, ocorre em um ano especial, pois a França está debatendo a revisão das leis de bioética.

Por isso, pedem “a implantação de políticas de saúde pública que protejam a vida humana desde a concepção até a morte natural” e que na França se estabeleça o objetivo de “reduzir drasticamente o número de abortos”.

Anualmente, 220 mil crianças são abortadas no país europeu, ou seja, 1 de cada 5 crianças geradas.

A organização da Marcha pela Vida também pede a proibição da eutanásia na França. “Queremos que todos tenham a segurança de estar acompanhados e apoiados nos últimos momentos de sua vida pela sociedade e pelos médicos. E que os que deveriam guiá-la pela mão não a ameacem de morte”.

Exigem ainda que se revise a legislação “sobre a procriação medicamente assistida que leva à seleção de embriões e a sua destruição em massa”. “Não queremos que os filhos sejam considerados por mais tempo como um objeto que pode ser produzido por prazer e manipulado com fins de utilidade”.

A federação internacional ‘One of Us’ também participará da manifestação a fim de defender “com voz forte e clara que cada vida humana tem uma dignidade inerente e inalienável como fonte de liberdades humanas e direitos dos cidadãos”.

É algo que “deveria ser inviolável e estar protegido por todas as autoridades públicas em todo momento, antes e depois do nascimento”, assinalam.

Em informações oferecidas ao Grupo ACI, destacam que nos anos anteriores essa marcha reuniu cerca de 50 mil pessoas. “Espera-se que este ano tenha um fluxo semelhante” e que conte com representação de Espanha, Holanda, Polônia, Portugal, Alemanha, Itália e Reino Unido.

A marcha começará às 14h30 (hora local) e acontecerá perto de Porte Dauphine, em Paris (França).

ACI Digital

Share.